Cachorro leva tiro de caminhoneiro que se irritou com sua presença, em São Paulo

DIVULGAÇÃO/ POLÍCIA MILITAR

Um caminhoneiro foi preso na madrugada desta quinta-feira (06) após ter usado uma arma de fogo contra uma cadela, na zona norte de São Paulo. O animal levou um tiro próximo ao pescoço, mas foi socorrido pela Polícia Militar e levado a uma clínica de veterinária particular, onde recebeu atendimento.

Os policiais do 5º Batalhão da Polícia Militar estavam em uma operação quando foram chamados para dar apoio cachorro baleado e realizar patrulhamento na região próxima ao terminal de carga na região da Vila Sabrina, perto do acesso para a Rodovia Fernão Dias.

De acordo com testemunhas locais, o homem teria se irritado com a presença de animais no terminal e teria sacado uma pistola calibre 6,35 e atirado contra a cadela, que foi identificada como Pintada.

Ao ser localizado dentro do seu veículo, o criminoso foi abordado pela polícia e encaminhado para o 73º Distrito Policial do Jaçanã e detido por maus tratos contra animais e por porte ilegal de armas. Segundo os agentes que estavam no local, o caminhoneiro foi questionado e confessou ter efetuado o disparo, oferecendo dinheiro aos policiais caso fosse absolvido do crime.

A cadela foi socorrida e levada a um hospital veterinário 24 horas. Os policiais que participaram do caso, comovidos, se mobilizaram para custear o atendimento de Pintada. Apesar disso, o hospital não aceitou o pagamento e informou que cobrirá os custos gerados pelo tratamento.

Os agentes que atenderam à ocorrência serão homenageados, nesta terça às 15h, no Quartel do 5º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano.

 Esse é o segundo animal a sofrer violência humana nesta semana.  No último dia 28, um texto publicado no Facebook relatou que um cachorro de rua morreu após ser espancado e envenenado por segurança de uma unidade da rede de hipermercados Carrefour localizada em Osasco.

O animal costumava ficar no entorno do supermercado e foi agredido depois que um dos funcionários recebeu um pedido de seu superior para retirar o animal do local. O vira-lata chegou a ser socorrido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), mas não resistiu. 

Em nota oficial, o Carrefour afirmou  estar triste pelo ocorrido com o cachorro e que "reconhece que um grave problema ocorreu" na loja e que "não vai se eximir de sua responsabilidade". A rede também informou que o funcionário foi afastado desde o início das investigações.

Fonte: Portal IG