Detentas sofrem queimaduras em incêndio em presídio de Porto Alegre

Wikimedia Commons

O Presídio Feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre no Rio Grande do Sul, pegou fogo na manhã de domingo (10). Duas detentas sofreram queimaduras no corpo e estão internadas em hospitais públicos da capital gaúcha em estado grave. O incêndio teria sido provocado por elas.

De acordo com a Superintendência Estadual dos Serviços Penitenciários (Susepe), as duas mulheres dividiam uma cela no Presídio Madre Pelletier e teriam se desentendido. Durante a briga, uma delas teria ateado fogo no colchão da outra, o que teria provocado o incêndio.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, uma delas, de 37 anos, teve queimaduras em 60% do corpo e foi transferida para um hospital de referência neste tipo de atendimento, o Hospital Cristo Redentor. A outra mulher teve cerca de 30% do corpo atingido pelas chamas e está internada no Hospital Pronto Socorro. Ambas respiram com a ajuda de aparelhos.

Outras 19 detentas e dois agentes penitenciários também tiveram que ser levados ao Hospital Pronto Socorro para atendimento por terem inalado fumaça. Todos foram liberados poucas horas depois, e não tiveram ferimentos.

Uma sindicância interna será instaurada para apurar o caso. A Polícia Civil também vai iniciar um inquérito policial. As duas detentas envolvidas na confusão devem prestar depoimento assim que forem liberadas pelos médicos.

O fogo começou por volta de 11h e foi rapidamente controlado pelos próprios agentes penitenciários. O Corpo de Bombeiros não chegou a atuar para apagar o incêndio. Posteriormente, o Departamento de Segurança e Execução Penal (Desep) esteve no local cuidando da situação.

O Presídio Madre Pelletier é um presídio estadual feminino localizado no bairro de Teresópolis, na região sul de Porto Alegre, capital gaúcha. A casa prisional tem capacidade para 241 detentas e, em agosto de 2018, abrigava 214 mulheres, conforme os últimos dados da Susepe.

Fonte: Portal IG