Pacotes suspeitos são enviados a consulados de pelo menos 10 países na Austrália

Reprodução/TV Globo

A Polícia Federal da Austrália está investigando o envio de pacotes suspeitos para consulados e embaixadas de diversos países em Camberra e Melbourne nesta quarta-feira (9). O portal de emergência do estado de Victoria informou pelo menos dez alertas sobre a possível presença de "material perigoso" na cidade de Melbourne. 

Segundo a emissora local ABC, entre as sedes diplomáticas que receberam os pacotes suspeitos estão os consulados dos Estados Unidos, Reino Unido, França, Grécia, índia, Hong Kong, Nova Zelândia, Itália, Suíça, Paquistão, e outros.

"Os pacotes estão sendo examinados pelos serviços de emergência que atenderam as chamadas. As circunstâncias em torno dos incidentes estão sendo investigados", disse a Polícia Federal australiana em comunicado. Investigadores de Melbourne dizem acreditar que os incidentes são “isolados e sem impacto na comunidade geral”.

O consulado do Reino Unido, também em Melbourne, foi um dos primeiros a receber o pacote. "Estamos em contato com [a polícia federal] e as autoridades locais sobre esta situação, todos os nossos funcionários estão sãos e salvos", disse um porta-voz do Alto Comissariado Britânico.

O marido da cônsul honorária da Suíça disse, em entrevista à BBC, que o consulado do país recebeu um envelope contendo uma substância identificada como “asbestos”: “Nós imediatamente o colocamos em outra bolsa e ligamos para a emergência, que levou o pacote. Mas nós sabemos agora que o item não era tóxico" afirmou. 

Joseph Petric, cônsul geral da Croácia em Melbourne, disse à CNN que a correspondência suspeita recebeu três embalagens pequenas pela caixa postal padrão. Elas foram retiradas pelas autoridades e o local não precisou ser evacuado. Alguns ainda estão sendo analisados.

Na última segunda-feira, autoridades já haviam encontrado conteúdo suspeito no consulado argentino em Sydney, que acabou sendo considerado inofensivo. Em outubro, um caso parecido aconteceu nos Estados Unidos, onde pelo menos 12 pacotes com conteúdo explosivo foram enviados a pessoas ligadas ao partido Democrata, contrário ao presidente Donald Trump.

Fonte: Portal IG