Trump sofre dura derrota na Câmara, mas amplia bancada republicana no Senado

Reprodução/Instagram

Assim como as principais pesquisas de intenções de voto sinalizavam, o Partido Democrata conquistou a maioria na Câmara dos Representantes, nas  eleições legislativas dos Estados Unidos (EUA), ocorridas nesta terça-feira (6). Apesar disso, as eleições nos EUA foram uma derrota parcial para o presidente Donald Trump já que o seu partido, o Republicano, ampliou sua vantagem no Senado.

Um terço do Senado norte-americano foi renovado, enquanto que 435 cadeiras da Câmara foram colocadas à disposição do voto popular. Nessas eleições nos EUA, foram escolhidos ainda governadores de 36 dos 50 estados, mais três territórios.

Na disputa pela Câmara, os democratas conseguiram tomar quase 30 distritos que estavam com o Partido Republicano, especialmente em áreas urbanas – as zonas rurais, por sua vez, ainda se mostram amplamente pró-Trump  –, catapultados por uma nova geração de políticos e pela maior participação feminina da história norte-americana.

Em reação ao resultado das urnas, o presidente já telefonou para a líder do Partido Democrata na Câmara e provável futura mandatária da Casa, Nancy Pelosi, para parabenizá-la pelo sucesso nas eleições.  Pelo Twitter, Trump definiu as eleições legislativas de meio de mandato como um “tremendo sucesso”. "Tremendo sucesso esta noite. Obrigado a todos", escreveu.

Com a Câmara dos Representantes tomadas pela maioria democrata, a oposição de Trump terá poder de obstrução, de negociação direta com o presidente e também condições políticas para investigar e protocolar pedidos – que nem sempre estão de acordo com os interesses do governo.

Por outro lado, ficará mais difícil para Trump cumprir algumas de suas promessas, feitas desde a campanha presidencial de 2016. Um exemplo do que pode ser barrado na Câmara é o financiamento do muro fronteiriço na área que separa os Estados Unidos do México. Não concreta até agora, a promessa de Trump sobre esse muro pode acabar não saindo do papel. 

Frente a essas condições, Trump deverá negociar mais com os deputados e aumentar a articulação política nessa segunda metade do seu mandato, a fim de dar andamento a projetos considerados essenciais para sua administração até o Senado.

De acordo com os dados oficiais, as eleições nos EUA tiveram número recorde de candidatas mulheres, imigrantes e muçulmanos.

* Com informações da Agência Brasil.

Fonte: Portal IG