General será número dois de Bebianno na Secretaria-Geral da Presidência

Sophia Paris/UN Photo

O futuro ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, confirmou o nome do general Floriano Peixoto Vieira Neto como seu secretário-executivo na pasta. A informação foi transmitida inicialmente pela  Globonews.

O general Floriano Peixoto foi comandante da missão das Nações Unidas no Haiti (Minustah) entre 2009 e 2010, período em que se deu o pior terremoto da história do país, com mais de 100 mil mortos.

Na condição de secretário-executivo da Secretaria-Geral, o militar atuará como um 'vice-ministro' de Gustavo Bebianno, que deixou a presidência do PSL ao fim da campanha eleitoral para ganhar o cargo no governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Bebianno afirmou, em entrevista à jornalista Andréia Sadi, da TV Globo, que escalará o general para fazer um pente-fino em contratos para identificar possíveis fraudes na Secretaria da Comunicação Social da Presidência, a Secom. “Ele é acima de qualquer suspeita. Ele tem esta função executiva”, afirmou o futuro ministro. 

Além do general, também foi confirmado nesta quinta-feira (6) mais um nome para a equipe do futuro governo: Damares Alves, que assumirá a função de ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. Ela é assessora do senador Magno Malta (PR-ES) e se tornou a 21ª integrante do novo corpo ministerial.

Em página publicada pelo Instituto Igarapé, o novo número dois da Secretaria-Geral da Presidência é apontado como um tenente-general aposentado do Exército "com mais de 40 anos na ativa e uma vasta experiência internacional na manutenção da paz e alívio de desastres".

Assim segue o currículo do general Floriano Peixoto: " Formado pela Academia dos Agulhas Negras, com mestrado em Ciências Militares e doutorado em Política, Estratégia e Alta Administração pela Command and General Staff College (CGSC). Experiência com relações-chave com agências governamentais e não governamentais em contextos nacionais e globais. Líder sênior e planejador operacional-estratégico com os recursos humanos e logística com experiência em situaçõesnacionais e internacionais. Instrutor em escolas militares e no nível universitário. Coordenador e assessor para os esforços interagências no Brasil e no exterior. Foi chefe de operações do 1º contingente brasileiro no Haiti – Força de Manutenção de Paz (2004); Comandante da Força da Minustah (2009-2010) – incluindo o período do terremoto no país -, prestando assistência às vítimas, coordenando a ajuda humanitária internacional e participando de diversos grupos para reconstruir o país".

Fonte: Portal IG