José Maranhão abre sessão que vai definir o próximo presidente do Senado; siga

Pedro França/Agência Senado

Os senadores retomaram neste sábado (2) a sessão preparatória para escolher quem assume a presidência do Senado. Por decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, a votação será secreta e a condução dos trabalhos ficará a cargo do senador José Maranhão (MDB-PB), que é o mais idoso da Casa. A sessão foi aberta às 11h50.

A  sessão foi suspensa na sexta-feira (1º) à noite e estava sob a presidência do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). Horas antes, os senadores decidiram, com 50 votos a favor, que a eleição dos membros da Mesa Diretora e da presidência do Senado seria feita em votação aberta.

A reunião para a escolha da Mesa Diretora do Senado foi adiada após cinco horas de discussões. O impasse se deu em torno da decisão pelo voto aberto. A sessão foi marcada por reações acaloradas de senadores, vários dos quais não aceitaram a mudança do rito para escolha do novo presidente. Sem acordo, a sessão foi suspensa e remarcada.

Até o momento, cinco senadores já oficializaram a candidatura: Fernando Collor (PROS-AL), Reguffe (Sem Partido-DF), Alvaro Dias (PODE-PR), Angelo Coronel (PSD-BA) e Major Olímpio (PSL-SP). A tendência é que Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Renan Calheiros (MDB-AL) também se candidatem e se tornem favoritos a disputarem o segundo turno. Eles tem 10 minutos após a abertura das oficializações de candidatura para a fazerem.

O clima foi de tensão foi marcado por protestos contra o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). Senadores do MDB contestavam a presidência interina de Alcolumbre, pois ele também é candidato ao comando do Senado.

A senadora Katia Abreu (MDB-TO) tirou da Mesa a pasta com o roteiro de condução da sessão. "Por favor, me devolva a pasta, senadora", pediu Alcolumbre. "Não devolvo. Vem tomar. Você não pode estar aí", respondeu a senadora.

Alcolumbre, que deve disputar a presidência da Casa, assumiu a presidência e colocou em votação a proposta para que a eleição da Mesa Diretora fosse aberta. Ele comandou a sessão  porque é remanescente da Mesa Diretora passada.

Os aliados do senador Renan Calheiros (MDB-AL), escolhido pelo MDB para disputar o cargo de presidente, argumentaram que Alcolumbre não tinha isenção para comandar a reunião que decide a presidência do Senado pelos próximos dois anos.

*Com informações da Agência Brasil

Fonte: Portal IG