Ministro mostra confiança em boa relação do Brasil com EUA no governo Bolsonaro

Valter Campanato/ABr

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, disse nesta quarta-feira (2) que Brasil e Estados Unidos iniciam uma nova etapa nas relações bilaterais após reunião com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, nesta manhã, no Palácio Itamaraty.

“Estamos no começo de uma nova fase que será muito produtiva, tenho certeza, na relação entre Brasil e Estados Unidos. Uma etapa que criará instrumentos concretos, que vão ajudar nossa economia, a gerar empregos, novas oportunidades de negócios, novas iniciativas em todas as áreas, aproveitando muito trabalho que já foi feito, mas criando uma dimensão muito mais intensa na nossa relação”, disse Ernesto Araújo.

Perguntado sobre a nova política externa brasileira, Araújo disse que o Brasil está se “realinhando consigo mesmo, com seus próprios ideais, e o Itamaraty está se realinhando com o povo brasileiro”.

“A nova relação com os Estados Unidos é uma consequência desse realimento interno do Brasil e com outros países igualmente”, acrescentou.

Pompeo afirmou que o presidente Donald Trump quer estreitar as relações com o governo do presidente Jair Bolsonaro em diversas áreas, entre elas a econômica. Questionado sobre as críticas feitas por Trump sobre as relações comerciais “injustas” entre Estados Unidos e Brasil, Pompeo defendeu que o governo americano quer estabelecer oportunidades para os dois países.

“Às vezes é difícil para americanos fazerem negócios no Brasil e, às vezes, é difícil para brasileiros fazerem negócios nos Estados Unidos também”, disse o secretário de Estado, que participou da posse de Bolsonaro nesta terça-feira (1º).

O ministro das Relações Exteriores teve agenda intensa neste primeiro dia de trabalho. Além das reuniões com o presidente da República e representantes estrangeiros, ele passou por uma série de conversas com chanceleres e enviados especiais de vários países.

Ernesto Araújo conversou com os ministros das Relações Exteriores Jacek Caputowicz (Polônia) e Maliki Osman (Cingapura), além dos enviados especiais Jeon Hae-cheol (Coreia do Sul), Yasuaki Yamaguchi (Japão) e Omar Alghabra (Canadá), assim como a ministra da Segurança Alimentar dos Emirados Árabes Unidos, Mariam al-Mehairi.

*Com Agência Brasil

Fonte: Portal IG